Início > Blog > Yoga para Iniciantes

Yoga para Iniciantes


Quando me pediram para escrever um artigo sobre Yoga para iniciantes, a minha primeira reação foi: mas somos todos iniciantes, constantemente! Pratico Yoga há mais de 20 anos e sempre que trago a atitude de que sou experiente no Yoga e sei bastante coisa, minha prática entra num tédio e dá uma estagnada. 

 

Quem é iniciante? 

Cultivar a mente de iniciante na Yoga traz um frescor único não só à nossa prática, mas também à nossa vida cotidiana. Imagine uma criança brincando da mesma coisa centenas de vezes, e cada vez aquela brincadeira é para ela especial, divertida, criativa e cheia de aprendizados. Queremos trazer essa mesma atitude e o olhar de uma criança para o nosso mat (tapete para a prática de Yoga). 

Acredito que essa é uma das atitudes principais que encorajo os meus alunos, tanto nas práticas de Yoga quanto na meditação. E por que isso? Justamente porque a mente muito facilmente entra nesse lugar de achar que já sabe, que já fez, ou que já tentou e não consegue, ou que isso não é para mim.

Cada momento é novo e único

Mas como seria uma atitude diferente, que te tira do normal e te expande? Como seria pensar que você nunca esteve nesse corpo aqui e agora antes? Como entrar numa postura como se fosse a primeira vez, com curiosidade e abertura para descobrir uma conversa totalmente nova com o seu corpo? Como seria lembrar que esse momento é único e nunca vai se repetir? 

Aliás essa ideia é muito linda, pare para pensar: não existem dois momentos iguais, cada momento é único e fresco. Nenhuma respiração é igual à outra. Como seria viver nossas vidas sob essa lei? Pois é uma lei natural da vida, não são só palavras bonitas.

O que te leva a buscar as práticas de Yoga?

Imagino que se estiver lendo esse texto, talvez você seja iniciante, no sentido literal da palavra, ou ainda esteja considerando iniciar na prática de Yoga. E ao invés de eu te dizer o que esperar ou considerar, gostaria de te convidar a uma auto investigação e reflexão aqui. Qual ou quais suas intenções com a Yoga? Claro que você pode estar buscando algo bem prático e específico, como aliviar o estresse, fortalecer suas pernas, aprender a respirar melhor, etc. Mas independente dos seus motivos iniciais, justamente porque está entrando em contato com uma fonte de sabedoria ancestral, você eventualmente vai entrar em contato com algo mais profundo em ti, e possivelmente uma maior clareza da sua verdadeira natureza. 

Uma outra reflexão que sugiro é: Quais partes da sua vida você está disposto(a) a abrir e deixar que sejam afetadas pela prática? Somente aquela sua parte que exercita o corpo? Sua parte espiritual? Seus relacionamentos? Todos os aspectos da sua vida? Como você imagina que a prática se expanda para além do seu tapetinho e se manifeste na sua vida diária? 

O que é a jornada da Yoga

A jornada da Yoga é sobre você, sobre auto empoderamento, sobre se sentir mais próximo da sabedoria e conhecimento que já existem em você. E na minha opinião não existe um laboratório mais apropriado do que o nosso corpo e nossa vida! 

A prática vai te levar para lugares fora da sua zona de conforto. O que na minha opinião é algo muito saudável quando estamos buscando auto conhecimento. É fato que todos carregamos padrões de comportamento e crenças sobre nós mesmos e sobre o mundo, e muitos desses padrões e crenças são tão enraizados em nós, são tão familiares, que nem percebemos que eles existem. E quando movemos o corpo conscientemente e o colocamos em posturas que muitas vezes nunca estivemos, já aí percebemos os condicionamentos do corpo e as crenças que temos sobre ele. 

turma-capacitacao-em-yoga-nazare-uniluz

Turma da Capacitação em Yoga de Nazaré Uniluz

Portanto, mantermos uma prática que nos convida a desacelerar e olhar com mais intimidade para nós mesmos, faz com que várias coisas que antes estavam inconscientes passam a se tornar conscientes para nós. E só isso já é metade do caminho da transformação e liberação de coisas que já não nos servem mais. Algo em nós que é inconsciente nos controla, e só quando nos tornamos conscientes é que podemos fazer algo sobre isso.

Experimente e descubra a Yoga

Mas a melhor dica que posso te dar é: experimente e descubra por si mesmo! Se dê essa chance, com curiosidade e abertura, com uma mente de iniciante! 

Finalizo com um poema de John O’Donohue:

“Adoraria viver como o correr de um rio, levado pela surpresa do seu próprio desdobramento.”

É bem assim que sinto a prática de Yoga: como deixar a surpresa e a descoberta de cada momento, de cada movimento, cada respiração, me carregar para o próximo momento, movimento e respiração.


Por Juliana Bizare, junho/2021.

Juliana Bizare pratica meditação e yoga há mais de vinte anos. Viveu entre Índia, Nepal, Inglaterra e Califórnia por 15 anos e estudou com vários mestres reconhecidos internacionalmente, como Tenzin Palmo, Katchie Ananda, Os Chanchani, Jack Kornfield. Começou a ministrar aulas de yoga no Tushita Meditation Centre na Índia, onde viveu imersa por 6 meses em 2010. Participou de retiros e treinamentos em diferentes centros pelo mundo, incluindo Spirit Rock na Califórnia. Pós graduada em Psicologia Transpessoal pela Uniluz, onde residiu por um ano e pôde desenvolver um trabalho profundo com meditação. Há dois anos tem estudado Calling Work, com Richard Condon de Nova York. Atualmente vive na Floresta Amazônica no Peru, onde desenvolve um trabalho que combina Mindfulness, Yoga, Medicina das Plantas e Calling Work, num centro internacional que recebe pessoas do mundo todo.

“Meu chamado é que as pessoas experimentem a liberdade de serem elas mesmas!”

    Assine nossa newsletter


    Eu aceito receber conteúdo educacional e promocional relacionado com os serviços de Nazaré Uniluz

    *Campos Obrigatórios

    Don't miss out. Subscribe today.
    ×
    ×
    X
    X