Despertar no Corpo

Retiro de Mindfulness e Música Corporal

com e

Quando: 12/01/2018 a 14/01/2018

Nosso corpo é a ferramenta mais sofisticada para criar conexão com o momento presente. Este retiro é um convite para habitarmos o nosso próprio corpo, como forma de lembrar da nossa interdependência – somos parte do todo e o todo é parte de nós; de cultivar a compaixão – atitude de gentileza, aceitação e expressão do coração; e de vivenciar a impermanência – o pulsar sagrado que sustenta o nosso viver.

Todos nós temos corpos diferentes e formas diversas de nos expressar, porém, estamos desconectados não só do nosso próprio corpo, mas também do corpo do outro. Utilizaremos as práticas de Mindfulness e de Música Corporal para acessarmos a sabedoria interna e a inteligência coletiva, cocriando maneiras de ser e de se relacionar.

Esse retiro é aberto para todos, tanto como uma ferramenta para nosso despertar, quanto uma prática de autoexpressão e cura. Buscaremos integrar nossa prática espiritual com o todo da nossa vida.

Mais sobre as práticas:


MINDFULNESS

A prática de Mindfulness não acontece só quando sentamos para meditar, mas acontece desde que despertamos pela manhã. Vamos entender como cultivar essa qualidade mental da atenção plena em tudo que fazemos: em práticas meditativas sentadas, no movimento consciente, em atividades do dia a dia, como lavar louça, caminhar de um lugar ao outro, estendendo a prática para sua vida além do retiro também. É um constante lembrar-se de estar na presença em tudo que esteja fazendo.


MÚSICA CORPORAL

A música corporal é um caminho para a descoberta do nosso corpo como recurso para criarmos sons. Desde nossas origens, a música feita a partir dos sons do corpo é uma fonte eficiente de comunicação e expressão de nossos sentimentos e emoções com o exterior que nos cerca. Integramos práticas como a percussão corporal, os cantos circulares e os jogos musicais cooperativos, para desvendarmos as autênticas características sonoras que cada corpo reverbera.



A programação está inserida no ritmo de Nazaré Uniluz mas é de responsabilidade das Facilitadoras.

Chegada: entre 16h e 18h30 de sexta-feira
Saída: após o almoço de domingo

Para mais informações, escreva para secretaria@nazareuniluz.org.br ou reserve sua vaga clicando no botão abaixo:

Investimento: R$740,00
(para alimentação completa – ovolactovegetariana - e hospedagem em quarto individual)

Juliana Bizare
Viveu no exterior por aproximadamente 14 anos, e durante esse período teve a abençoada oportunidade de estudar Yoga e Meditação com mestres reconhecidos internacionalmente, tanto do Oriente quanto do Ocidente. Morou dois anos na Índia, onde ensinou Yoga no Tushita Meditation Centre em Dharamanshala e estudou com os Chanchani, Usha Devi, Tenzin Palmo entre outros. Na Califórnia se aprofundou ainda mais nesses assuntos, e fez sua formação em Yoga e Mindfulness RYT200 com Katchie Ananda. Estudou no Spirit Rock, recebendo ensinamentos de mestres como Jack Kornfield, Philip Moffit e Anne Cushman. Recém chegada do Peru, estava ensinando Yoga, Meditação e Movimento Consciente num centro internacional imersa na floresta amazônica. Pós-graduada em Psicologia Transpessoal, oferece retiros e vivências na Uniluz e outros centros voltados para o autoconhecimento no Brasil e Peru.

Rita Cruz
Graduada em Educação Musical (UNESP) e Pós Graduanda em Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas (Projeto Cooperação/UNIP), desde 2015 se dedica ao estudo e prática da Música Corporal. É facilitadora de música e pedagogia da cooperação no projeto Ser Música, coordenadora executiva do projeto Música do Círculo, integrante do grupo Orquestra Corporal (direção de Fernando Barba e Stênio Mendes). Já estudou com Keith Terry, Zuza Gonçalves, Pedro Consorte, Ronaldo dos Santos, Reinhard Flatischler (Taketina), Lucas Ciavatta (O Passo) e integra o grupo de estudos sobre percussão corporal orientado por Fernando Barba, e o grupo de estudos sobre o Desvendar da Voz, orientado por Rita Maria. Foi professora de artes da rede municipal de São Bernardo do Campo (2016).